As importantes lições que cães e gatos nos ensinam

Muitos chamam a natureza de mãe. Acredito nesta definição porque as mães são nossas primeiras professoras. E é incrível o quanto podemos aprender sobre a vida e sobre nós mesmos quando nos permitimos contemplar silenciosamente o curso natural das coisas, quando estamos abertos a todas as lições que o ciclo percorrido pelos elementos inorgânicos e pelos seres vivos pode nos ensinar.

Neste cenário, cães e gatos são um destes milhares de professores. Por que estou dizendo isso? Bem, é que estive este fim de semana conversando com um amigo que me dizia não ter muita afinidade com os felinos. Ele me contou que adorava cães porque eles estavam sempre ali, enquanto os gatos- na visão dele- eram animais que estavam interessados apenas no bem-estar próprio, não eram verdadeiros companheiros. Disse a ele que, na verdade, se tratavam de espécies diferentes, com histórias evolutivas e, portanto, comportamentos diferenciados e que a afinidade maior por uma ou outra era compreensível, mas que podemos aprender muito com ambas. O certo é que esta conversa me levou a reflexões que eu quero compartilhar com vocês.

Cães são da espécie Canis lupus familiaris e, dessa forma, parentes dos lobos (Canis lupus lupus) que têm como hábito a convivência em grupos. O que diferencia cães e lobos quanto a capacidade de domesticação é o tempo em que eles entram no período de socialização. Em um estudo publicado na revista Ethology em 2013, a pesquisadora da Universidade de Massachusetts, Kathryn Lord, relata que cães e lobos desenvolvem o sentido do olfato com duas, a audição por volta de quatro e a visão com seis semanas. No entanto, o período de socialização dos lobos acontece por volta de duas semanas, enquanto os cães só começam a explorar os ambientes com quatro. Assim, quando os sentidos começam a se desenvolver nos filhotes de lobos, eles se assustam com os novos sons e imagens do ambiente que estão explorando. Os cãezinhos já têm seus sentidos desenvolvidos quando começam a explorar o ambiente e isso pode facilitar a sua relação com os objetos e seres vivos de outras espécies, como a humana.

Essa diferença poderia explicar por que os cães podem ser domesticados enquanto os lobos permanecem selvagens. E, embora analogias quanto aos processos de estabelecimento da dominância nas duas subespécies possam ser errôneas, os cães, assim como os lobos, estão habituados com a vida em grupo.

Gatos, por sua vez, têm como ancestrais selvagens a espécie Felis lybica que, acredita-se, vive solitariamente. Por este motivo, gatos (Felis catus) estariam mais habituados a viver sozinhos, mas eles são adaptáveis e podem formar grupos sociais (colônias). Dentro das colônias a seleção dos membros com os quais um animal estabelece relações é algo bastante individual e o grau de sociabilidade independe do sexo: há machos e fêmeas extremamente sociáveis e outros menos afeitos às relações sociais. Para a socialização eficiente é necessário que ela seja realizada nas primeiras semanas de vida dos gatinhos.

Então, sim, cães e gatos são diferentes! Talvez, cães nos ajudem a compreender melhor a importância da convivência em grupo, das relações sociais, embora também tenham a sua individualidade, sua personalidade. Gatos têm suas relações sociais, mas talvez possam nos ajudar a entender melhor a importância de pensarmos a nossa própria individualidade dentro da nossa vida em grupo.

Ambos oferecem amor e carinho à sua maneira (como nós, seres humanos, também fazemos). E é exatamente por isso que devemos entender que eles têm as suas necessidades, a sua forma própria de perceber e entender o mundo. Assim, respeitaremos a sua essência, a sua condição canina ou felina, ou seja, deixaremos que eles sejam exatamente o que são, aprendendo com isso e aproveitando integralmente cada momento dessa adorável convivência.

Neste sentido, os profissionais da área de etologia (comportamento animal) têm auxiliado os tutores a compreenderem os animais, melhorando a qualidade dos relacionamentos. De qualquer maneira, seja cão, seja gato, sejam os dois a presença dos pets muda a vida da gente! Pra muito melhor!!!!