Eletrocardiografia (ECG)

O exame eletrocardiográfico é indolor, rápido, não necessita de preparo prévio do animal e permite a avaliação do ritmo e da atividade elétrica do coração para o diagnóstico de distúrbios que podem alterar a função cardíaca, possibilita demonstrar o agravamento de uma condição cardiovascular importante, acompanhar a resposta de uma terapia antiarrítmica (eficácia e arritmias causadas), sendo, ainda, um auxílio diagnóstico em casos de desequilíbrios eletrolíticos, distúrbios do sistema endócrino, sistema nervoso central e do sistema digestório.

Indicações gerais:

. Alteração na frequência/ritmo cardíaco detectada na auscultação
. Sinal de insuficiência cardíaca congestiva
. Sopro cardíaco
. Doença pericárdica e monitoramento na pericardiocentese
. Dispnéia
. Choque
. Cianose
. Síncope ou convulsão
. Cardiomegalia observada na radiografia torácica
. Avaliação pré-anestésica
. Escolha do anestésico adequado para o paciente cardiopata
. Monitorização em anestesia, durante e após cirurgia (arritmias frequentemente aparecem no pós-operatório)
. Avaliação de efeito e toxicidade do fármaco cardíaco
. Distúrbios eletrolítico e endócrino
. Doença sistêmica: piometra, pancreatite, neoplasia, uremia, trauma, torção gástrica
. Exames seriados como auxílio no acompanhamento das doenças cardíacas

Na VetLife, o exame eletrocardiográfico é realizado com registro de dez derivações simultâneas - seis derivações periféricas (DI, DII, DIII, aVR, aVL, aVF) e quatro derivações precordiais (V1, V2, V4, V10), garantindo maior qualidade e precisão no diagnóstico.